Museu das Reduções



Localizado a cerca de 25Km do centro histórico de Ouro Preto, no distrito de Amarantina, o Museu das Reduções é uma das mais genuínas expressões do talento e da arte do povo mineiro. Uma obra da iniciativa privada, sem fins lucrativos, idealizada, projetada e executada pelos irmãos Vilhena, Ênio, Décio, Evangelina e Sylvia.


Todas as obras foram produzidas com o mesmo material empregado na construção dos edifícios originais, obedecendo as mesmas proporções (25 vezes menor que a original). Ênnio foi o artesão-mor, responsável pela criação da técnica da construção e de todo o ferramental. Além disso, era o responsável pelos trabalhos em metal, alvenaria e madeira. Sylvia fez as pinturas manuais em vitrais e azulejos e as esculturas em pedra sabão: imagens sacras, colunas, relevos, brasões, etc. Décio foi o responsável pela parte racional, como escalas, plantas, cálculos, desenhos, etc. Ele fez ainda toda a parte de madeira trabalhada, como portas, treliças, balaústres, canhões, caixilhos de 1 mm de espessura e janelas almofadadas. Evangelina coordenou a equipe, além de ter fotografado os monumentos.

A instituição preserva cinco séculos da arquitetura e da arte usadas na construção dos mais belos e importantes monumentos do Brasil: são 29 réplicas reduzidas, expostas em jardins suspensos, que 
que retratam com perfeição os 5 séculos de nossa riquíssima arquitetura de 15 estados diferentes do Brasil.

O Museu abriga em seu acervo verdadeiras relíquias, monumentos históricos tombados, reproduzidos artisticamente em escala reduzida, observando-se rigorosamente a utilização dos mesmos materiais empregados nas edificações originais.

Entre as obras, todas com grande riqueza de detalhes, estão a Igreja da Glória do Outeiro (Rio de Janeiro/RJ), o Farol da Barra (Salvador/BA), a Casa dos Contos (Ouro Preto/MG), o Palácio da Alvorada (Brasília/DF) e a Igreja de São Francisco de Assis (Belo Horizonte/MG) onde também se encontra a reprodução dos painéis de Cândido Portinari.

Rua São Gonçalo, nº 131 - Distrito de Amarantina
Tel: (31) 3553-5182

Visitação de segunda-feira a domingo das 09:00h às 17:30h





Ouro Preto


Situada a aproximadamente 95km de Belo Horizonte, capital de Minas Geris, no Brasil, Ouro Preto é considerada uma das principais cidades turísticas do estado.

A cidade, fundada em 1711, no auge do ciclo do ouro, foi construída por artistas e escravos, inspirados nos modelos europeus, criando um estilo nacional diferenciado, possui o maior acervo arquitetônico do país e foi a primeira cidade brasileira a ser declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO, em 1980.

Ouro Preto possui várias igrejas, museus, chafariz e vários outros pontos turísticos, e a melhor maneira de conhecê-los é caminhando por suas ladeiras e apreciando os casarões e monumentos que mantêm vivos a rica história da cidade.

A Praça Tiradentes é um ponto de encontro de moradores e vários turistas, brasileiros e estrangeiros, que utilizam a praça como ponto de partida para os outros pontos turísticos.

A Praça Tiradentes também abriga o Museu da Inconfidência, que ocupa a antiga Casa de Câmara e Cadeia de Vila Rica, dedicado a preservação da memória da Inconfidência Mineira. Possui obras de Ataíde e Aleijadinho. Foi criado em 1938 com peças recolhidas na região, tornando-se um dos mais importantes prédios do país.

O Museu do Oratório fica ao lado da Igreja Nossa Senhora do Carmo e funciona em um casarão histórico, onde morou Aleijadinho. Possui uma coleção de 162 oratórios e 300 imagens genuinamente brasileiras.

Construído entre 1782 e 1787, o Museu Casa dos Contos foi residência e “Casa de Contratos” onde eram recolhidos os impostos. Serviu para diversos fins, inclusive de cárcere para os inconfidentes. Hoje o local é Sede do Museu da Moeda e Centro de Estudos do Ciclo do Ouro. É um dos mais completos de Ouro Preto, e ainda abriga uma senzala em seu interior.

Apesar de ter a a maior parte do intenso fluxo turístico focado na arquitetura e importância histórica, o município possui um rico e variado ecossistema a seu redor, com cachoeiras, trilhas seculares e uma enorme área de mata nativa, protegida com a criação de Parques Estaduais.

A tradicional Maria-Fumaça, percorre um o trecho ferroviário entre Ouro Preto e Mariana, com 18 Km de extensão puxando um vagão panorâmico que permite uma vista excepcional da paisagem.

O Parque Estadual do Itacolomi oferece centro de visitantes, passeios com monitores tanto na parte histórica quanto nas trilhas e expedições. Lá encontramos o Pico do Itacolomi, que serviu de referência aos viajantes e aventureiros que buscavam ouro e pedras preciosas na região depois de 1694; a Fazenda São José do Manso, que abriga a Casa Bandeirista, construção feita por bandeirantes do século XVIII; e o Museu do Chá.

O Parque Municipal da Cachoeira das Andorinhas possui cachoeiras, piscinas naturais e área de camping. A Cachoeira que dá nome ao parque está no interior de uma formação rochosa semelhante a uma gruta e abriga grande quantidade de andorinhas-de-coleira no verão.

A Mina Chico Rei situa-se nos fundos do quintal de uma propriedade particular. Nas paredes da mina encontram-se cavidades onde era depositado o ouro recolhido durante o dia. A área total é de 80Km² com 175 galerias, escavadas em três níveis de profundidade. 

As portas para os encantos de Ouro Preto estão sempre abertas a você.
Bem Vindo!